Connect with us

Hi, what are you looking for?

BATE PAPO

Lisboa: Mauro Pinto apresenta exposição “Blackmoney” na Galeria 111

O fotógrafo moçambicano Mauro Pinto  selecionado para a Bienal de Veneza, em 2018, e vencedor do prémio BESPhoto 2012, inaugura em Lisboa, no próximo sábado, uma exposição dedicada à série “Blackmoney”, sobre a vida nas minas do seu país.

A exposição abre ao público na Galeria 111, onde vai estar patente até 9 de novembro.

“Na obra de Mauro Pinto (Maputo, 1974) somos chamados a um encontro com o espaço social e com as condições de vida, e existenciais, de uma sociedade que se encontra em permanente interrogação”, lê-se na apresentação da mostra.

Enquanto artista que trabalha a imagem fotográfica, o posicionamento político [de Mauro Pinto] situa-se numa perspetiva que se inscreve numa abordagem antropológica de uma das muitas formas como poderemos observar a humanidade”, reforça o ensaio do curador João Silvério, sobre “Blackmoney”

Imagens desta série fizeram parte do projeto “The Past, The Present and The In Between”, que o pavilhão de Moçambique levou à Bienal de Arte de Veneza, em 2018, como reflexão do passado do país, e do impacto desse passado na atual sociedade moçambicana.

As imagens, a preto e branco, mostram a vida nas minas, as condições de trabalho, prendem-se em pormenores decisivos, as mãos, os olhares.

Em 2012, Mauro Pinto venceu a 8.ª edição do antigo concurso BESPhoto, com um projeto fotográfico realizado no Bairro da Mafalala, em Maputo.

Na altura, o júri internacional do prémio destacou “a entrega do artista à realidade das pessoas que habitam os espaços”, transmitindo, em simultâneo, “uma perspetiva histórica e sociológica da realidade contemporânea moçambicana”.

Mauro Pinto vive e trabalha em Moçambique. No final dos anos de 1990 fez um curso de fotografia pela Monitor Internacional School, que acompanhou com um estágio com o fotógrafo José Machado.

Das exposições individuais destacam-se as que levou ao Palácio Cadaval, em Évora, e ao Centro Cultural Franco-Moçambicano, em Moçambique.

Expôs igualmente em mostras coletivas na Galeria 111, em Lisboa e Porto, e na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa e Paris.

A Galeria 111, que acolhe “Blackmoney”, encontra-se agora na rua Dr. João Soares, ao Campo Grande, em Lisboa, e está aberta de terça-feira a sábado, das 10:00 às 19:00. Encerra aos domingos, segundas-feiras e feriados.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Advertisement

PODERÁ TAMBÉM GOSTAR

VIVO

Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit.

LIFESTYLE

At vero eos et accusamus et iusto odio dignissimos ducimus qui blanditiis praesentium voluptatum.

VIVO

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae.

LIFESTYLE

Nulla pariatur. Excepteur sint occaecat cupidatat non proident, sunt in culpa.

Copyright © 2020 Bankznews - Revista Urbana. Todos os direitos reservados.

pt_PTPortuguese
pt_PTPortuguese